excêntrico

cometo uns poemas
como se crime fossem

cometo uns poemas
sem brilho sem fama
sem a calda do Halley

nascem no céu da boca
morrem no ocaso da gaveta
poemas assim
de órbitas excêntricas

admire-os agora :
sabe-se lá quando voltam!