Serpente

Eu sou o erro. O abraço indevido para seus beijos. O deslize que não se deve cometer. No entanto, quero seus lábios no meu mamilo. Seu hálito na minha nuca durante a madrugada. Suas mãos amanhecendo meu desejo. Seus seios despontando em minha aurora.

Acaso quero muito? Quero tudo o que não devo. Quero só o que mereço. Quero a aflição do seu desejo.

Assusto-lhe?

Continuar lendo

Raimundo & João – destinos cruzados

Raimundo chegou na cidade faz tempo. Pelas contas dele. No calendário tem só dois anos. Mas parece uma eternidade. E o pior é que ele não se habitua. Veio pelas mãos de Donato, amigo de infância que narrava as maravilhas do sul. Mas que esqueceu de dizer que aqui faz frio, que as distâncias parecem infinitas e que as pessoas nunca têm tempo.

Amizade às vezes pode ser uma coisa estranha. As almas se correspondem sem motivo, a vida não liga a mínima pra isso, e a gente fica no meio. Foi assim com Donato e Raimundo, que dividiram a juventude e depois seguiram outros rumos. Mas sentiam falta dos risos bêbados e dos choros loucos. E se Raimundo estivesse aqui, o que diria? Se fosse o Donato, ele me entenderia…

Continuar lendo